32 C
Manaus
Manaus, 16 de outubro de 2018

Cartão de crédito é vilão do orçamento ou não ?

Vira e mexe o cartão de crédito é apontado como o vilão do orçamento doméstico, como mostra a pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), divulgada nesta segunda-feira (4).

Segundo a pesquisa, para 76,9% das famílias que possuem dívidas, o cartão de crédito permanece como a principal forma de endividamento. “O cartão de crédito não é vilão, ele é um excelente meio de pagamento. O problema é que as pessoas não sabem usar”, diz Reinaldo Domingos, presidente da DSOP Educação Financeira.

O primeiro motivo, segundo Domingos, é que as pessoas acabam se perdendo porque não contabilizam as prestações. “A pessoa ganha R$ 3.000 e gasta R$ 1.800 em prestações. Se comprometer acima de 30% do ganho líquido mensal [o valor que cai na conta depois de todos os descontos], já corre o risco de ficar superendividado”, diz Domingos.

Para aproveitar essas vantagens e aprender a usar bem o cartão de crédito sem comprometer o orçamento, saiba quanto pode gastar por mês, para isso, é preciso fazer o orçamento doméstico. Fazer o orçamento é bem simples: durante um mês, some tudo o que ganha e tudo o que gasta.

Pode fazer isso usando um caderninho, uma planilha como a da Bolsa, do Idec ou do próprio Excel. Também existem aplicativos para controle do orçamento como Mobills (Android ou IOS), GuiaBolso (Android e IOS), Minhas Economias (Android e IOS) ou Organizze (Android e IOS).

Nunca comprometa mais do que 30% do que ganha, pois os especialistas recomendam respeitar o limite máximo de 30% do que ganha com dívidas. O motivo é que se acontecer algum problema, como um gasto extra, a pessoa ainda terá uma margem para conseguir pagar as contas.

Registre todas as despesas, caso tenha o hábito de parcelar o cartão de crédito, é essencial que você anote todas as parcelas para não se perder e acabar gastando mais do que pode.

Não pague somente o mínimo, Programe-se para pagar a fatura cheia do seu cartão de crédito na data do vencimento. Isso porque os juros do do cartão de crédito são uma das taxas mais altas do mercado. Segundo o Banco Central, a taxa média do cartão de crédito, em outubro, ficou em 13,10% ao mês, ou 337,94% ao ano.

Pelas novas regras do cartão, quem não conseguir pagar a fatura integral só poderá ficar 30 dias no rotativo. Depois disso, o débito automaticamente vai ser parcelado. As taxas de juros, nesse caso, também são altas: 8,53% ao mês, em média, também segundo o BC, ou 167% ao ano.

Troque a dívida se já estiver endividado no cartão de crédito, vale a pena pegar um empréstimo consignado ou pessoal para quitar essa dívida. Segundo dados do Banco Central, a taxa do empréstimo consignado para trabalhadores do setor privado estava, em outubro, em 2,89% ao mês (40,8% ao ano), em média, ante 8,53% ao mês no parcelado do cartão e 13,10% ao mês no rotativo do cartão.

Renegocie se não estiver conseguindo pagar nem as prestações do parcelado, ou já estiver inadimplente e com o nome sujo, tente renegociar a dívida. Nesse caso, só se comprometa com o que efetivamente pode pagar. Lembre-se de que se assumir uma nova dívida e não pagar, seu nome volta para o cadastro de inadimplentes de novo.

Notícias Relacionadas

Governo do Amazonas preparou plano emergencial para possível desabastecimento de combustível

Suammy Saiury

Bairro Santa Etelvina promove homenagens às mães com festival de verão

Celso

Anvisa autoriza registro de genérico contra câncer de próstata

Redator Tucumã
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
%d blogueiros gostam disto: