“Estamos incomodados com essa situação, mas só nós podemos mudar essa situação. Nós com os reforços que estão chegando. Na verdade não são reforços, são reposições. Reforços seriam se tivéssemos mantido o mesmo elenco do ano passado, mas saíram 23 jogadores e chegaram três. Nós temos que repor os jogadores que saíram ano passado. Isso está sendo feito agora. Nosso presidente teve de quitar todas as dívidas do passado. Com a venda do Rodrygo viabilizou dinheiro para a gente começar a contratar. É um pouco tardio, mas com essas contratações o time vai ficar mais forte. Fico feliz por ter participado desse venda do Rodrygo. Quase R$ 200 milhões. E mesmo com todas as dificuldades, o Santos é um dos poucos grandes clubes do Brasil que ainda está disputando todas as competições…”, explicou.