Manaus Ambiental é novamente notificada, desta vez por desabastecimento de água

A Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman) notificou a concessionária Manaus Ambiental novamente, mas desta vez o motivo é pelo desabastecimento de água ocorrido na Colônia Santo Antônio e Nova Cidade, ambas na zona Norte, ocasionado pelo furto de cabos elétricos nas unidades de abastecimento. O órgão concedeu prazo de cinco dias para que a empresa adote medidas para solucionar a questão.

Na última quinta-feira, 26/7, a empresa havia sido notificada pela má prestação do serviço de assentamento de redes coletoras de esgoto nas ruas e avenidas do bairro Cidade Nova, na zona Norte de Manaus. Técnicos da Ageman também estiveram no local e confirmaram as irregularidades na recomposição das valas e do pavimento asfáltico, o que vem ocasionando afundamento, formação de buracos, deterioração das ruas e imobilidade da via.

Conforme notificação encaminhada nesta segunda-feira, 30/7, à empresa, a diretoria técnica da Ageman concedeu o prazo para que a concessionária apresente por escrito as medidas que a empresa vem adotando para resolver ou minimizar o desabastecimento de água causado pelos furtos de cabos elétricos. Outro ponto questionado pelos técnicos da agência de regulação é sobre a falta de informação para os consumidores prejudicados.

“É direito dos clientes a informação clara e precisa quanto às alterações e interrupções no fornecimento, bem como as medidas mitigadoras a serem oferecidas, e nós temos relatos de consumidores que estão ficando sem água devido ao furto dos cabos e a concessionária, ao tomar conhecimento da situação, não vem prestando a devida informação aos usuários que ficam desabastecidos por longos períodos e não sabem sequer o que está acontecendo, porque a empresa não está informando como deveria”, explicou o diretor-presidente da Ageman, Fábio Alho.

A continuidade, a regularidade e a eficiência dos serviços de abastecimento de água e de esgotamento sanitário são princípios norteadores da relação contratual com o Poder Público, conforme o contrato de concessão.

Em maio, a Ageman já havia alertado a concessionária para um problema de furto de cabos ocorrido na Estação Elevatória de Água do Coroado, na zona Leste, e que causou desabastecimento na localidade.

Fábio Alho ressalta que, caso a empresa não preste as informações dentro do prazo estabelecido, a notificação poderá ser revertida em advertência e até multa.

Comente com o Facebook
Input your search keywords and press Enter.
%d blogueiros gostam disto: