34.5 C
Manaus
Manaus, 22 de outubro de 2018

Facebook vai apoiar dois projetos que visam combater “fake news” no Brasil

Facebook vai apoiar dois projetos que visam combater “fake news” no Brasil

Facebook anunciou hoje (04) que está investindo em dois projetos brasileiros que visam combater a disseminação de notícias falsas — vulgas “fake news” — no ambiente online. A empresa promoveu uma mesa redonda em setembro do ano passado em São Paulo para discutir possíveis ações nesse sentido para 2018 e, agora, anunciou quais projetos serão apoiados.

O primeiro dele é o “Vaza, Falsiane!”, um minicurso online gratuito que pretende ensinar ao público geral como reconhecer por si só notícias potencialmente falsas ou aquelas que dizem meias verdades. O curso vai fazer isso através de vídeos e testes usando exemplos reais colhidos no Facebook e em outras redes sociais. O Vaza, Falsiane! está sendo elaborado pelos professores Ivan Paganotti (MidiAto ECA-USP), Leonardo Sakamoto (PUC-SP) e Rodrigo Ratier (Faculdade Cásper Líbero).

“Fátima”, um software capaz de conversar com os usuários da rede social através do Messenger

A segunda iniciativa apoiada pelo Facebook no combate às notícias falsas se chama “Fátima”, um software capaz de conversar com os usuários da rede social através do Messenger. O chatbot poderá ajudar os usuários a identificar informações falsas e checar fatos específicos através de uma conversa comum, sem a necessidade de interação com um humano.

“Estamos confiantes de que esses dois projetos ajudarão as pessoas no Brasil a tomar decisões mais conscientes sobre o conteúdo que consomem na internet e fora dela”, afirma a líder de parcerias com veículos de mídia do Facebook para América Latina, Cláudia Gurfinkel.

Será possível mostrar como reconhecer fontes confiáveis

O Fátima foi desenvolvido pela agência de checagem de fatos Aos Fatos, integrante da International Fact-Checking Network. O nome do robô vem de “FactMa”, abreviação de “FactMachine”. “Mais do que dizer se uma notícia é falsa, verdadeira ou algo no meio do caminho, será possível mostrar como reconhecer fontes confiáveis e se adaptar ao ambiente informativo”, explica a diretora executiva e cofundadora do Aos Fatos, a jornalista Tai Nalon.

Fake News no alvo da PF

Dê bases de atuação para a PF pedir a remoção de conteúdo enganoso da internet durante as eleições presidenciais deste ano

Paralelo a esse esforço do Facebook, a Polícia Federal (PF) criou um grupo de trabalho que pretende combater fake news durante as eleições de 2018. Incialmente, um delegado, um agente e um perito criminal da PF vão trabalhar com técnicos do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e da PGR (Procuradoria Geral da República). A ideia é apresentar ao Congresso Nacional uma proposta de lei que tipifique crimes de disseminação de notícias falsas e dê bases de atuação para a PF pedir a remoção de conteúdo enganoso da internet durante as eleições presidenciais deste ano.

A intenção do grupo de trabalho é combater rumores falsos sobre candidatos a fim de garantir que o cidadão possa fazer sua escolha independente de ações externas mal-intencionadas, como teria acontecido nas últimas eleições presidenciais dos EUA.

Segundo a Folha de São Paulo, a PF estaria trabalhando na produção de um documento com várias sugestões a ser enviada ao Congresso em breve e, com isso, dar tempo para que os parlamentarem discutam o tema adequadamente e aprovem uma eventual lei contra fake news antes das eleições em outubro.

 

Notícias Relacionadas

WhatsApp permite avisar amigos sobre troca de número

Celso

Ana Tex participa de Congresso de Vendas Digitais em Manaus

Redator Tucumã

App que transforma você no sexo oposto viralizou no Facebook

Celso
%d blogueiros gostam disto: