31.5 C
Manaus
Manaus, 17 de agosto de 2018
Portal Tucumã
Image default
Mundo

Estudante brasileira é morta na Nicarágua

Nesta terça-feira (24), foi confirmada a morte da brasileira Raynéia Gabrielle Lima, que foi atingida por tiros disparados por um grupo de paramilitares, na Nicarágua, nessa segunda-feira (23). Segundo o reitor da Universidade Americana em Manágua (UAM), Ernesto Maia, a estudante de medicina estava no sexto ano e faleceu por conta de “um tiro no peito que afetou o coração, o diafragma e parte do fígado”.

Em uma nota, o Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores), confirmou a morte e declarou que busca esclarecimentos junto ao governo da Nicarágua.

“Ao repudiar a perseguição de manifestantes, estudantes e defensores dos direitos humanos, o governo brasileiro volta a instar o governo da Nicarágua a garantir o exercício dos direitos individuais e das liberdades públicas. O governo brasileiro exorta as autoridades nicaraguenses a envidarem todos os esforços necessários para identificar e punir os responsáveis pelo ato criminoso.” – Itamaraty

O assassinato aconteceu em meio a uma crise sociopolítica com manifestações contra o presidente Daniel Ortega. A repressão governamental aos protestos já deixou entre 277 e 351 mortos, de acordo com organizações humanitárias locais e internacionais.

A mãe de Raynéia, a aposentada Maria Costa, contou ao G1 que conversou com a filha da manhã da segunda-efeira (23). “Ela me disse que estava indo para o plantão e me dizia sempre que lá estava muito perigoso, que ninguém estava saindo na rua. Hoje de manhã o ex-sogro me ligou dizendo o que tinha acontecido”.

A brasileira estava na Nicarágua desde 2013, e estava se preparando para voltar ao Brasil em 2019. A mãe ainda afirmou que quer ver justiça. “Tiraram da rua o carro em que ela estava quando foi baleada. Eu quero que quem matou a minha filha seja punido. Seja o presidente, seja quem for”.

Fonte: G1

Notícias Relacionadas